AP Photo/Michel Euler - 06/12/12
AP Photo/Michel Euler - 06/12/12

'Número três' do governo francês renuncia durante entrevista sem avisar Macron

Ministro de Transição Ecológica da França, Nicolas Hulot, disse que sairia do governo após se sentir 'isolado' em assuntos ambientes no executivo francês

O Estado de S.Paulo

28 Agosto 2018 | 04h59

PARIS - O ministro de Transição Ecológica da França, Nicolas Hulot, considerado o "número três" do governo Emmanuel Macron, renunciou ao cargo nesta terça-feira, 28, sem avisar o presidente francês. A decisão foi dita durante uma entrevista à rádio local France Inter.

"Tomo a decisão de deixar o governo", declarou Hulot, que afirmou se sentir "isolado" em assuntos ambientais no executivo francês. "Vou tomar a decisão mais difícil da minha vida, não quero mentir para mim mesmo, não quero dar a ilusão que minha presença no governo significa que estamos à altura do desafio."

A saída de Hulot é um duro golpe à administração Macron, que tratava o ex-apresentador de televisão como um de seus principais "trunfos". Segundo Hulot, ele decidiu renunciar na noite dessa segunda-feira, 27, mas não havia informado oficialmente o presidente francês nem o primeiro-ministro, Édouard Philippe. 

"Eu sei que não é algo muito protocolar", disse o ex-ministro, completando que se tivesse comentado o assunto com o presidente ou seus auxiliares, eles tentariam "convencê-lo" a mudar de ideia. Apesar da renúncia inesperada, Hulot disse que sua saída não deveria ser usada para atacar o governo Macron, pelo qual "tem uma profunda admiração".

Logo após a entrevista, o porta-voz do governo, Benjamin Griveaux anunciou que o Eliseu "lamentava a saída" de Hulot e agradeceu o trabalho feito ex-ministro. Griveaux também criticou a "falta de cortesia" do ex-ministro em não informar o governo sobre sua renúncia com antecedência. //AFP, EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.