Nuvem de enxofre vulcânico envolve Quito

Uma inesperada nuvem de enxofre proveniente do vulcão Reventador foi detectada nesta segunda-feira sobre a capital do Equador, provocando novamente a suspensão das aulas nas escolas e universidades, informou o prefeito de Quito, Paco Moncayo. Ele disse que a medida foi adotada assim que os instrumentos do Instituto Geofísico determinaram que a nuvem de enxofre estava a nordeste da cidade, de 1,4 milhão de habitantes. Sob o céu claro e ensolarado era possível ver uma tênue nuvem cizenta, identificada pelas emissoras de rádio como a massa de enxofre. O problema, segundo Moncayo, é que os gases expelidos pelo Reventador "estão suspensos no ar e se moveram devido às correntes de ar, na direção oeste (do vulcão)". Em alguns setores da cidade se percebia um odor de enxofre "semelhante ao cheiro de esgoto", disse o doutor Patricio Ampudia, do ministério da Saúde. Ampudia afirma que a suspensão das aulas era recomendável para evitar os ajuntamentos humanos, "que podem causar enfermidades, como bronquite, provocada pelas partículas químicas". As aulas deveriam reiniciar-se justamente hoje, após serem suspensas na semana passada devido à erupção do Reventador. O vulcão, localizado a 95 km de Quito, lançou cinzas que cobriram uma ampla zona do centro-norte do país, incluindo a capital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.