Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

Nuvem tóxica atinge centro de Buenos Aires

Algumas pessoas procuraram hospitais com problemas respiratórios e irritação nos olhos

Agência Estado

06 de dezembro de 2012 | 15h05

BUENOS AIRES - Vários prédios da região portuária e do chamado microcentro de Buenos Aires foram esvaziados na manhã desta quinta-feira, 6, após a região ser atingida por uma nuvem tóxica e malcheirosa. O odor teve origem num incêndio em um contêiner carregado de inseticida, que estava no terminal 4 do porto da capital argentina.

Embora o governo tenha afirmado que o produto Thiodicarb a 35% tem baixa toxidez, algumas pessoas procuraram hospitais com problemas respiratórios e irritação nos olhos. Um comunicado do Ministério da Saúde à imprensa diz que as equipes de toxicologia dos hospitais foram reforçadas para atender eventuais pacientes.

"Recomenda-se que os que tenham sido expostos às emanações, especialmente quem tem asma ou sofre de doenças respiratórias e tenha apresentado problemas, que procurem ajuda médica mais próxima", diz o documento.

De acordo com o comunicado, três pessoas que estavam no local tiveram irritações nas mucosas e na pele, mas já foram atendidas.

"O Ministério da Saúde da nação, a cargo de Juan Manzur, recomenda que a população que está ou vive nas imediações do porto de Buenos Aires, onde o incêndio de um contêiner com inseticida provocou uma importante emanação de fumaça, que permaneçam em suas residências, fechem portas e janelas e não se exponham à fumaça", diz o informe do Ministério.

Mais conteúdo sobre:
Buenos Airesnuvem tóxica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.