NY: dólar recua após declaração de Bullard

O dólar subiu diante do euro e do iene, depois de indicadores positivos aliviarem os temores de que a economia dos EUA também estivesse em desaceleração, assim como as de outros países avançados. O dólar devolveu parte dos ganhos depois de o presidente do Federal Reserve Bank de St. Louis, James Bullard, dizer que o Fed deveria considerar a possibilidade de não encerrar seu programa de compras de bônus em outubro.

Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2014 | 18h53

Entre os indicadores divulgados nos EUA, a produção industrial cresceu 1% em setembro, quando a previsão dos economistas era uma expansão de 0,4%; o número de pedidos de auxílio-desemprego ficou em 264 mil na semana passada, com queda de 23 mil em relação à semana anterior.

O euro caiu em reação ao informe de que o índice de preços ao consumidor da zona do euro subiu 0,4% em setembro, em relação a agosto, com alta de 0,3% em comparação com setembro de 2013 (nível mais baixo desde outubro de 2009).

"Vimos o dólar se recuperar com base em uma melhora do sentimento, já que os indicadores dos EUA saíram bons, o que sugere que as preocupações que as pessoas tinham de que houvesse um alastramento da desaceleração do crescimento global nos EUA ainda não apareceram nos dados", disse o estrategista Ian Gordon, do Bank of America Merrill Lynch.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,2810, de US$ 1,2840 ontem; o iene estava cotado a 106,36 por dólar, de 105,98 por dólar ontem. Frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a ? 136,24, de ? 136,02 ontem. Diante da libra, o euro estava cotado a ? 0,7962, de ? 0,8017 ontem. O franco suíço estava cotado a 0,9426 por dólar, de 0,9406 por dólar ontem, e a 1,2074 por euro, de 1,2072 por euro ontem. A libra estava cotada a US$ 1,6094, de US$ 1,6018 ontem. O dólar australiano estava cotado a US$ 0,8760, de US$ 0,8828 ontem. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
mundocâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.