AFP PHOTO / DON EMMERT
AFP PHOTO / DON EMMERT

'NY Times' suspende correspondente da Casa Branca acusado de assédio sexual

Decisão foi tomada depois que o site 'Vox' acusou Thrush de atuar de forma inapropriada com mulheres jovens quando era repórter do 'Politico'

O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2017 | 18h00

NOVA YORK - O New York Times suspendeu um de seus correspondentes na Casa Branca, Glenn Thrush, depois de ele ser acusado por várias mulheres de conduta sexual inapropriada, anunciou o jornal nesta segunda-feira, 20.

+ Deputado anti-LGBT renuncia após flagra de sexo com homem nos EUA

A decisão foi tomada depois que o site Vox acusou Thrush de atuar de forma inapropriada com mulheres jovens quando era repórter do Politico, onde trabalhava antes de entrar no The New York Times em janeiro para cobrir o governo Trump.

"A suposta conduta é muito preocupante e não corresponde aos padrões e valores do New York Times", disse um porta-voz do jornal na segunda-feira.

"Realizaremos uma investigação completa e enquanto isso Glenn será suspenso". O jornal The New York Times apoiou a decisão de Thrush de iniciar um tratamento por abuso de substâncias, acrescentou.

Em um artigo publicado na segunda-feira no site Vox, a jornalista Laura McGann afirma que cinco anos atrás, em um bar, Thrush colocou a mão sobre sua perna e a beijou sem seu consentimento. Outras três mulheres relataram ter vivido experiências similares, nas quais o jornalista as teria tocado e beijado durante eventos nos quais consumiu bebida alcoólica.

Thrush era um dos seis repórteres que cobrem a Casa Branca a as atividades do presidente Donald Trump em tempo integral para o jornal. Ele também escreve um livro sobre o mandatário com seu colega de jornal Maggie Haberman. / AFP

 

Mais conteúdo sobre:
The New York Times assédio moral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.