'NYT' diz ter sido atacado por hackers chineses

O New York Times disse ontem que tem sido vítima de ataques de hackers chineses desde 24 de outubro, véspera da publicação de reportagem sobre a fortuna de US$ 2,7 bilhões da família do premiê Wen Jiabao. Investigação feita por empresa de segurança contratada pelo jornal concluiu que os invasores acessaram os computadores de 53 funcionários, entre os quais David Barboza, chefe do escritório em Xangai, que escreveu a reportagem.

CLÁUDIA TREVISAN, CORRESPONDENTE / PEQUIM, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2013 | 02h05

Segundo a editora executiva do NYT, Jill Abramson, não foram encontradas evidências de que e-mails ou documentos "sensíveis" tenham sido roubados. Os métodos usados pelos criminosos são semelhantes aos utilizados por militares chineses, sustentou o jornal. O porta-voz da chancelaria da China, Hong Lei, refutou a acusação. "Chegar a conclusões sem nenhuma razão, com evidências incertas e nenhuma prova é totalmente irresponsável", afirmou.

Uma fonte disse ao NYT que computadores de jornalistas da Bloomberg também foram invadidos. Em junho, a agência de notícias publicou reportagem sobre a fortuna de US$ 400 milhões de familiares de Xi Jinping, novo chefe do Partido Comunista, que assumirá em março.

O acesso aos sites dos dois veículos está bloqueado na China desde que as investigações foram divulgadas. "O número de ataques que têm origem na China sugere que hackers no país estão por trás de uma campanha de espionagem contra corporações, agências governamentais, ativistas e organizações de mídia nos EUA", afirma o NYT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.