EFE/PRENSA MIRAFLORES
EFE/PRENSA MIRAFLORES

'NYT' pede a Trump para não estimular golpe na Venezuela

Em editorial, diário americano diz que eventual apoio de Washington a insurgências contra o presidente venezuelano afetaria a autoridade moral do país para defender a democracia em outros países do mundo

O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2018 | 14h29

NOVA YORK - "Fique longe da  Venezuela, senhor Trump". Foi assim que o New York Times intitulou nesta quarta-feira, 12, um editorial aconselhando o presidente americano a não encorajar um golpe contra o presidente Nicolás Maduro.

"Os Estados Unidos não deveriam estar no negócio de golpes. Ponto final", afirmou o jornal. Na semana passada, o NYT informou que diplomatas americanos se encontraram secretamente três vezes com militares venezuelanos que planejavam um golpe contra Maduro.

As reuniões incluíram um ex-comandante militar venezuelano na lista dos sancionados pelo governo americano, segundo o jornal. Mas Washington não concedeu nenhum apoio material aos dissidentes, e os planos para um golpe desmoronaram após a recente prisão de dezenas de militares rebeldes, afirmou o NYT.

O jornal opinou nesta quarta que "não é razoável" que diplomatas americanos se reúnam com facções, incluindo soldados amotinados. "Manter várias reuniões com os que planejam (um golpe) começa a parecer uma colaboração" e pode incentivá-los a pensar que têm o apoio de Washington."

Um ano atrás, Trump disse que os Estados Unidos tinham "uma opção militar" para a Venezuela, declaração que foi condenada pelos aliados de Washington na América Latina. Mais recentemente, o senador republicano da Flórida Marco Rubio encorajou militares venezuelanos a derrubar Maduro em uma série de tuites.

"Não há dúvida de que Maduro e sua visão socialista foram um desastre para a Venezuela e a região. Maduro precisa renunciar", escreveu o jornal em seu editorial.

Após duas décadas de governos chavistas a economia venezuelana está à beira do colapso: o país com as maiores reservas comprovadas de petróleo do mundo enfrenta uma grave escassez de alimentos e medicamentos que forçou ao exílio cerca de 2,3 milhões de venezuelanos desde 2014. Neste ano, a inflação pode se aproximar de 1.000.000%, de acordo com o FMI. 

O NYT diz, no entanto, que qualquer envolvimento dos EUA em um eventual golpe para derrubar Maduro poderia ser contraproducente, pois daria munição aos chavistas, que responsabilizariam os americanos pelos males do país.

O jornal também estimou que isso afetaria a autoridade moral de Washington em defender a democracia em outros países do mundo, "já comprometida pelo atropelo de Trump das normas democráticas em casa e seu entusiasmo por tiranos estrangeiros".

O NYT recordou ainda a "história sórdida" das invasões americanas e apoio a golpistas no século passado na América Latina, e disse que "Trump e outros líderes devem continuar a tentar encorajar uma transição através do ajuste de sanções específicas contra Maduro e seus cúmplices". / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.