NYT pede desculpas por notícias errôneas sobre o Iraque

O jornal The New York Times publicou uma nota pedindo desculpas aos seus leitores por ter publicado notícias sobre o Iraque de Saddam Hussein - tanto antes de os EUA e os países aliados invadirem o país em março de 2003 quanto nos primeiros dias da ocupação - que provaram ser falsas. As matérias "não foram tão rigorosamente apuradas como deveriam ter sido" e se basearam em informantes cuja credibilidade foi posteriormente colocada em questão. Notícias dando conta que o Iraque possuía armas de destruição em massa ou que tinha vínculos com terroristas internacionais continham informações que não foram questionadas pelos editores e não tiveram um acompanhamento adequado, explicou o jornal. O New York Times também reconheceu ter dado um destaque muito maior a artigos contendo denúncias alarmantes sobre o regime de Saddam Hussein do que a informações posteriores que questionavam as alegações. Muitas das histórias usaram informação fornecida por exilados iraquianos e críticos de Saddam que pressionavam os Estados Unidos para derrubarem o líder iraquiano, mas o jornal escreveu que nem sempre enfatizou a motivação dos informantes. Em duas ocasiões, as histórias descreviam acusações que nunca foram independentemente confirmadas. O NYT escreveu que reviu centenas de artigos em sua investigação. Ele publicou uma mostra de histórias que estão sendo questionadas em seu site na internet, cobrindo assuntos como arsenais secretos de armas e a destruição de armas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.