O Estado de S.Paulo

08 de março de 2013 | 02h05

Cenário: Reuters

A Venezuela era pequena demais para Hugo Chávez. Suas ambições requeriam um palco maior. Não o continente, mas o mundo. Com a renda vinda do petróleo, o líder bolivariano cortejou líderes como o iraquiano Saddam Hussein, o iraniano Mahmoud Ahmadinejad e o sírio Bashar Assad. Em nível regional, no entanto, desde 2006, a popularidade de Chávez vem caindo. O ponto de virada foi a derrota de Ollanta Humala nas eleições peruanas daquele ano, parte em razão da rejeição à sua proximidade com Chávez. Cinco anos depois, o peruano se reelegeu afastando-se da imagem do bolivariano. O modelo escolhido foi o do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva. O "Consenso de Brasília" prevaleceu sobre o "Consenso de Caracas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.