O deputado russo que votou contra Putin

Velho inimigo do líder, parlamentar já chamou partidários do presidente de 'vigaristas e ladrões'

ADAM TAYLOR, THE WASHINGTON POST, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2014 | 02h05

Na quinta-feira, a Câmara Baixa do Parlamento russo (Duma) votou a favor da anexação da Crimeia. A medida já havia sido acertada pelo presidente Vladimir Putin com os líderes crimeios e necessitaria apenas da aprovação da Câmara Alta, o Conselho da Federação, ocorrida ontem.

A votação da Duma era vista apenas como um carimbo de confirmação depois da aprovação de Putin. A agência Reuters reportou que no Parlamento quase cheio, 443 deputados votaram a favor da Crimeia fazer parte da Rússia. No entanto, quantos votaram contra? Apenas um.

Essa pessoa foi Ilya Ponomarev, representante da Província de Novosibirsk, na Sibéria. Como se pode inferir, Ponomarev não é exatamente um fã de Putin. Ele é integrante do partido Uma Rússia Justa, grupo contrário às políticas de Putin, e referiu-se ao governante Rússia Unida como "vigaristas e ladrões", frase que ficou famosa em razão do líder de oposição Alexei Navalni.

Ponomarev era um líder de destaque nos protestos contra Putin que emergiram depois das disputadas eleições da Duma, em dezembro de 2011. Também foi o primeiro a apresentar-se como oposicionista no primeiro mandato de Putin. E também foi acusado de se vestir de forma pouco adequada para um deputado.

As autoridades russas não gostaram muito das ações de Ponomarev. Eles fizeram buscas no apartamento de seu assistente e votaram para impedir que ele discursasse na Duma por um mês após o comentário sobre "vigaristas e ladrões". Recentemente, ele negou que tenha apresentado um projeto de lei na Duma para proibir propaganda anti-Rússia e disse que era apenas uma "provocação" aparentemente organizada por outra pessoa.

Portanto, não se deve ficar muito surpreso com o voto contrário de Ponomarev - e menos surpreso ainda com o fato de que nem todos estejam reagindo bem depois de sua recusa em concordar.

Depois que Ponomarev tuitou um link para uma declaração que fez na rede social russa VK (VKontakt) explicando seu voto, na qual chamou as medidas da Rússia de "erro político" e disse que votou "contra a guerra", a resposta dos usuários do Twitter não foi tão positiva. Uma delas sugere que 99% da população agora quer "crucificá-lo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.