O estrategista discreto

Considerado um estrategista político experiente, o socialista François Hollande disputou extenuantes primárias - sob a sombra do escândalo sexual de Dominique Strauss-Kahn, cuja candidatura era dada como certa - para ser indicado por seu partido para a disputa presidencial francesa. Tido como uma pessoa afável e discreta, sua imagem contrasta com a de Nicolas Sarkozy. Os apoiadores do socialista confiam em sua determinação. Durante a faculdade de administração foi um ativo militante estudantil. Juntou-se ao Partido Socialista em 1979 e chegou a atuar como conselheiro econômico iniciante no governo de François Mitterrand. Hollande andava desaparecido da política desde 2008, após se separar de Ségolène Royal, mas ressurgiu após o caso de Strauss-Kahn ter deixado seu partido sem candidato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.