"O fim do mundo está próximo", dizem cristãos dos EUA

Alguns grupos cristãos norte-americanos reagiram aos atentados de terça-feira afirmando que "o fim do mundo está próximo", "os muçulmanos são demônios"; outros, mais moderados, convidaram à união para uma prece. Quase todas a igrejas cristãs, desde as mais prestigiadas até as mais desconhecidas, deram sua interpretação sobre os dramáticos acontecimentos em Nova York e Washington, enquanto numerosas teses apocalípticas circularam nas últimas horas desta tarde na Internet. Muitos sites não fazem referências explícitas, mas lançam mensagens fortes, como a de que Deus quis castigar severamente os EUA, "culpados por matarem crianças não nascidas". Outras páginas, em compensação, interpretam os atentados à luz de uma iminente volta de Cristo à Terra - teria sido um sinal preparatório, que "devia marcar a história, como dizem as Escrituras". Enquanto isso, numerosos grupos cristãos se mostraram dispostos a dar auxílio "material e espiritual". Os membros do Exército de Salvação, já desde a noite de terça-feira, prestam auxílio no local do desastre. As igrejas batistas, metodistas e presbiterianas promoveram vigílias de oração em todo o país, e em todos os púlpitos se multiplicaram aos apelos aos doadores de sangue.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.