O melhor da internet

TIME

Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2010 | 00h00

Com ironias, Obama cita temas polêmicos

As ironias de Barack Obama arrancaram risos dos correspondentes da Casa Branca no jantar anual do presidente americano com jornalistas. "Posso não ter o poder de estrela que já tive", admitiu Obama, falando de sua popularidade com a imprensa. "Mas, em minha defesa, vocês também não têm", alfinetou em seguida. Os convidados divertiram-se tanto com Obama que Jay Leno, o apresentador de TV escolhido para animar o encontro, ficou deslocado, segundo repórteres. "Todas as piadas desta noite são cortesia dos nossos amigos do Goldman Sachs", afirmou por fim Obama, referindo-se ao banco de investimento acusado de fraudes. "Por isso, vocês não precisam se preocupar. Eles fazem dinheiro, quer vocês riam ou não."

EL MERCURIO

Coberturas perdem valor no Chile

O mercado imobiliário chileno mudou após o terremoto que matou 486 pessoas em fevereiro. O preço de apartamentos nos pisos mais altos, acima do 8.º andar, já se equipara ao dos inferiores. Especialistas creem que critérios como a vista e a luminosidade devem reverter em um ano o trauma decorrente do tremor.

EL PAÍS

Pais lançam vídeo no 3º ano sem Madeleine

Gerry e Kate McCain, pais da menina inglesa Madeleine, desaparecida em Portugal há três anos, lançaram um vídeo no qual distribuem panfletos com uma nova foto da filha. "Ela já não está todos os dias nos jornais, mas segue sendo procurada", disse um porta-voz da família. Madeleine teria agora 7 anos.

THE MIAMI HERALD

Celebridades mantêm Haiti no noticiário

Com o êxodo das equipes de socorro, o espaço do Haiti no noticiário internacional depende da visita de celebridades, cujas atividades mais comuns são distribuir comida e ajudar em hospitais. Entre as estrelas de Hollywood que foram ao país, o mais ativo é Sean Penn, que ajuda a coordenar um campo de refugiados. A visita de astros a áreas de desastre tornou-se comum após o furacão Katrina em New Orleans, em 2005.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.