O melhor nome que já desafiou o chavismo

O ex-governador do Estado venezuelano de Miranda, Henrique Capriles Radonski, é tido por analistas críticos ao governo do presidente Hugo Chávez como o melhor nome da oposição em 14 anos para tirar o líder bolivariano do poder. Jovem e com um discurso conciliador, o candidato da Mesa de Unidade Democrática tem apostado nessa eleição em uma estratégia similar à adotada por Chávez em sua primeira vitória eleitoral, em 1999.

O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2012 | 03h08

Desde que venceu as primárias da MUD, em fevereiro, Capriles visitou mais de 260 cidades da Venezuela. Com o respaldo da imprensa crítica a Chávez, tentou passar uma imagem jovem e saudável, para contrastar com a do presidente, que passa por problemas de saúde e está há 14 anos no poder.

Católico nascido em uma família de ascendência judaica, Capriles formou-se advogado pela Universidade Católica Andrés Bello, em 1994. Durante parte da década de 90, trabalhou na iniciativa privada. Em 1998, tornou-se o deputado mais jovem da Venezuela. Dois anos depois, elegeu-se prefeito de Baruta, um dos distritos de Caracas, que governou por oito anos. Participou também da fundação do partido Primera Justicia.

Durante a tentativa de golpe da oposição contra Chávez, em 2002, foi preso, acusado de tentar invadir a Embaixada de Cuba em Caracas. Capriles diz que tentou apenas intermediar as negociações com oposicionistas que cercavam a representação diplomática. Acabou absolvido das acusações.

Em 2008, foi eleito governador de Miranda, Estado que reúne cidades da Grande Caracas, e ganhou protagonismo entre líderes da oposição venezuelana, unificada sob a coalizão da Mesa de Unidade Democrática, em 2010. Em fevereiro, foi escolhido em eleições primárias como o candidato da oposição. / LUIZ RAATZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.