O mundo está em perigo, adverte o papa

O papa João Paulo II pediu, mais uma vez, pela paz e alertou que o mundo vive uma situação de perigo generalizado e incerteza, devido à guerra no Iraque. Falando a uma delegação da Igreja Luterana da América, o pontífice advertiu que os episódios destes dias exigem "um compromisso ainda mais urgente" e exortou todos a se unirem em oração "para que Deus onipotente conceda ao mundo a paz que é fruto da justiça e da solidariedade". "Em um momento em que a situação está caracterizada por um generalizado estado de perigo e insegurança, todos os cristãos são chamados a se unirem para proclamar os valores do reino de Deus", disse o papa a seus visitantes luteranos. O "testemunho cristão" dos beatos deve servir para conseguir a paz no mundo e para a construção da "casa comum européia", havia declarado pouco antes o chefe da Igreja católica, ao receber no Vaticano os participantes da cerimônia de beatificação do domingo.O pontífice - que não se cansa em sua luta para evitar "uma catástrofe para a humanidade" - aproveitou as duas ocasiões para tratar do tema da paz, objetivo central de sua atividade diplomática nos últimos meses.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.