O mundo protesta contra a guerra. Os EUA também.

Vários países, inclusive os Estados Unidos, protestaram neste primeiro dia de guerra contra o Iraque. Na Inglaterra e na Espanha, houve repressão e algumas pessoas foram presas.Na capital norte-americana Washington, cerca de 150 manifestantes bloquearam o tráfego temporariamente em algumas das principais avenidas, em plena hora do "rush".Diante da Casa Branca, cerca de 50 manifestantes gritaram slogans antiguerra como "nenhum sangue por petróleo". Aproximadamente 200 manifestantes fizeram uma passeata entre a Casa Branca e a residência do secretário da Defesa, Donald Rumsfeld. "Você tem sangue em suas mãos", gritaram os manifestantes. Houve protestos contra a guerra também em Atlanta, Seattle, Salt Lake City, Nova York, Boston, Chicago, Detroit, Minneapolis e nos Estados norte-americanos de Carolina do Norte, Ohio, Delaware, Maryland, Wisconsin, Arkansas e Nevada. Em Carson City (Nevada), centenas de veteranos de guerra manifestaram-se a favor da guerra.Espanha - Em Madri, a polícia espanhola disparou balas de borracha contra milhares de manifestantes que protestavam contra a guerra, que é apoiada pelo governo do país; dois manifestantes saíram feridos. Em Barcelona, estudantes jogaram tijolos, ovos e tomates na sede local do Partido Popular, do primeiro-ministro José Maria Aznar. Inglaterra - Em Londres, pelo menos 8 mil manifestantes contra a guerra reuniram-se em Parliament Square. A polícia britânica usou cassetetes para impedir o avanço das pessoas que tentavam participar de uma manifestação na frente do Parlamento. Também houve protestos diante de Downing Street (sede go governo) e na Universidade de Cambridge. Um manifestante escalou um edifício na City londrina, obrigando a polícia a bloquear uma rua. Alemanha - Em Berlim, mais de 50 mil manifestantes contra a guerra saíram às ruas, alguns deles queimando a bandeira norte-americana.França - Em Paris, milhares de manifestantes contrários à guerra fizeram um protesto na Place de la Concorde, diante da embaixada dos EUA.Outros países - Também houve manifestações contra o conflito em Atenas (estimada em dezenas de milhares de manifestantes), no Cairo (onde a polícia egípcia usou canhões de água contra cerca de mil manifestantes perto da embaixada dos EUA), em Roma (onde a polícia bloqueou a Via Veneto para conter dezenas de milhares de manifestantes) e em Manila (onde a polícia feriu 12 pessoas ao impedir que manifestantes chegassem à embaixada norte-americana.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.