Holly Bailey / W.Post
Holly Bailey / W.Post

O que acontece quando 4 candidatos democratas chegam à sua cidade? Não há vagas

No sábado, todos os candidatos mais votados foram a Cedar Rapids, Iowa, para duelar e pedir votos

Holly Bailey, Washington Post, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2020 | 12h26

CEDAR RAPIDS, Iowa - Eles circularam pelos estacionamentos lotados em vão, procurando espaços vazios que simplesmente não existiam. Nas ruas próximas, alguns manobravam seus carros em cima de montes de neve e ignoravam as placas de "proibido estacionar".

E do lado de fora do comício da senadora Elizabeth Warren na tarde de sábado, 1º, em Cedar Rapids, em Iowa, muitos motoristas simplesmente desistiram - alguns pararam para tirar fotos de seu ônibus de campanha no campus da Coe College antes de serem impedidos pela segurança por impedir o tráfego.

A parada deu início a um dia de campanhas frenéticas, nas quais a senadora de Massachusetts e os outros principais candidatos - o ex-vice-presidente Joe Biden; o ex-prefeito de South Bend, Indiana, Pete Buttigieg e o senador Bernie Sanders - chegaram praticamente juntos à cidade, clamando por apoio de última hora antes dos caucus de segunda-feira em Iowa.

Cedar Rapids é a maior cidade do condado de Linn, uma das áreas mais importantes ​​do estado. Seus eleitores tendem a ser mais diversos e liberais do que outras partes de Iowa. 

Portanto, não é de surpreender que a cidade perca apenas para Des Moines no número de visitas de candidatos até agora nesta temporada. 

Segundo o site Des Moines Register, que rastreia a participação de candidatos no Estado, os democratas visitaram Cedar Rapids 179 vezes desde sábado.

Vários dos candidatos - incluindo Warren e Buttigieg - estavam fazendo sua segunda parada em Cedar Rapids em pouco mais de uma semana, cada um atraindo multidões na casa das centenas.

A primeira a chegar da cidade foi Warren, cujo ônibus verde e azul-marinho causou um mini-engarrafamento na Rodovia Interestadual 380 logo após o meio-dia. Os carros diminuíam a velocidade nas faixas adjacentes, enquanto os motoristas tiravam fotos em seus telefones com câmeras.

No Coe College, Warren disse a uma multidão de mais de 700 pessoas que ela é a melhor posicionada para unificar os democratas para derrotar o presidente Trump. “Vamos, devemos nos reunir como um partido e derrotar Donald Trump", disse ela, acrescentando que a maneira de fazer isso era escolher um candidato com o qual “todos possam concorrer" e encontrar áreas em comum.

Menos de uma hora depois, o ônibus vermelho, branco e azul de Biden seguia pela mesma estrada em direção a um evento em uma escola secundária a cerca de cinco quilômetros do evento de Warren, onde ele e vários políticos, incluindo o ex-senador John F. Kerry (D-Mass). e a deputada Abby Finkenauer, de Iowa, levantaram a questão da elegibilidade em um pleito nacional. 

Eles apontaram para pesquisas que mostravam Biden competitivo com Trump nos estados em que o republicano tem bons números. O apelo de Biden aos eleitores da classe trabalhadora, argumentou Kerry, “poderia ajudar a eleger outros democratas”.

Quando o ônibus de Biden saiu da cidade por volta das 17 horas, em direção ao norte, passou pela arena Cellular, no centro de Cedar Rapids, onde uma fila de centenas de jovens serpenteava pela calçada à frente de um comício de Sanders. A banda Vampire Weekend tocava. A multidão, que no total totalizou mais de 3.000 pessoas, foi apontada pela campanha de Sanders como o maior comício de Iowa até agora - um sinal do bom momento do senador de Vermont.

Uma multidão de palestrantes subiu ao palco diante de Sanders, incluindo o diretor Michael Moore e o deputado Ilhan Omar (D-Minn.). Cada um divulgando o longo histórico de Sanders de desafiar o establishment político. Quando ele subiu ao palco, Sanders, que derrotou Hillary Clinton no Condado de Linn há quatro anos, ficou em grande parte preso ao seu discurso.

Ele argumentou que sua campanha de revolução política é a única que pode excitar as pessoas e aumentar a participação necessária para derrotar Trump, que ele chamou de "o presidente mais perigoso da história moderna deste país". A classe trabalhadora dos EUA se levantará e dirá em voz alta e clara: 'Basta' ', declarou Sanders.

Na mesma época, em um hotel do outro lado da cidade, Buttigieg conversou com um grupo de cerca de 600 pessoas, apresentando-se como um estranho de Washington e um líder do partido da próxima geração que pode unir democratas, apelar aos "futuros ex-republicanos" e trazer um perspectiva diferente da Casa Branca em comparação com Biden e Sanders.

“No último meio século, toda vez que meu partido ganha na Casa Branca, certas coisas são verdadeiras sobre nosso candidato. Tem sido alguém novo na política nacional, alguém nos chamando para nossos valores mais altos. E tem sido alguém que está abrindo as portas para uma nova geração de liderança ", disse Buttigieg. "É assim que vencemos quando os democratas concorrem à presidência".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.