O velho ditador e seus velhos mísseis

Os mísseis de Kadafi são tão antigos como o ditador: fazem muito barulho, navegam mal e caem a quilômetros de distância do alvo pretendido - mas, quando tudo funciona, podem ser letais. As forças leais ao governo líbio resgataram os velhos Scuds, fabricados (7 mil deles) desde 1957 pela extinta União Soviética. As duas primeiras gerações usavam versões levemente aperfeiçoadas do sistema de guiagem dos V-2, da Alemanha nazista. O Scud, adotado em 34 países, tem 6 novas variações, todas de tecnologia média, feitas na Coreia do Norte e no Irã.

Roberto Godoy, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2011 | 00h00

Na guerra civil do Afeganistão, de 1989 a 1992, foram lançados cerca de 1,9 mil mísseis, o maior emprego já visto. As baixas mais significativas, 2 mil mortos, foram registradas no conflito do Irã contra o Iraque. Na Guerra do Golfo, o Iraque lançou ao menos 42 Scuds contra Israel, mas provocou poucos danos. Os mísseis do arsenal de Kadafi são do tipo B - 11,25 metros, 980 quilos de carga explosiva e alcance de 350 km.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.