O verdadeiro Romney

A biografia definitiva do recém nomeado candidato republicano à presidência dos Estados Unidos

DAVID, BROOKS, THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2012 | 03h05

Artigo

O objetivo da convenção republicana é apresentar para o país o autêntico Mitt Romney. Felizmente, passei horas pesquisando a respeito. E posso oferecer a vocês a biografia definitiva e uma visão exclusiva do candidato republicano.

Mitt Romney nasceu em 12 de março de 1947 em Ohio, Flórida, Michigan, Virgínia e vários outros Estados considerados decisivos na eleição. Ele chegou ao mundo, o cabelo primeiro, acreditando nos EUA e especialmente nos seus parques nacionais. Recebeu o nome de Mitt, em homenagem ao deus romano dos fundos mútuos, e com a nobre expectativa de um dia tornar-se modelo das camisas Arrow.

Romney foi uma criança dotada e precoce. Pronunciou suas primeiras palavras (gosto de demitir pessoas) aos 14 meses, cometeu sua primeira gafe aos 15 meses e comprou sua primeira escola maternal aos 24 meses. A escola, bastante endividada, faliu, mas Romney conseguiu 24 milhões de jujubas no negócio.

Mitt veio de uma família modesta. Seu pai tinha uma loja de carrocerias chamada American Motors Corporation e sua mãe possuía um pequeno pedaço de terra no Brasil. A família tem uma tradição especial. O integrante mais querido passa o tempo nas viagens pela estrada no teto do carro. Os anos de adolescência foram mais turbulentos. Ele foi enviado a uma escola privada, onde ficou entristecido ao descobrir que existem pessoas nos EUA que veraneiam onde sua família passa o inverno. E passou a ter uma preocupação com aqueles que não possuíam uma casa de campo, organizando vendas de bolos. Os recursos obtidos foram destinados aos moderadamente ricos.

Alguns afirmam que ele se retraiu durante esses anos. Tinha uma pedra de estimação que fugiu de casa, faminta de afeição. Comprou um "anel do humor" (que muda de cor segundo o estado de espírito da pessoa), mas que sempre estava transparente. Sua habilidade para transformar vinho em água diminuiu sua popularidade em festas.

Houve, francamente, um período de desorientação. Depois de ouvir Walk on the Wild Side, de Lou Reed, Romney decidiu abandonar o mormonismo e tornar-se amish. Mas também deixou os amish, pela proibição do uso de produtos capilares.

Seu caso de amor com Ann Davis restaurou seu equilíbrio. Sempre respeitosos, Mitt e Ann decidiram fugir com os pais. Viajaram para Israel, onde tentaram, em vão, introduzir o conceito de privacidade. Romney também foi numa missão para a França. Passou dois anos batendo de porta em porta, mas não conseguiu converter ninguém. Uma façanha que repetiria durante sua disputa pela presidência em 2008.

Depois da sua missão, foi a Harvard, onde estudou Administração, Direito, os clássicos e filosofia, embora intelectualmente o que sempre mais tenha amado seja sonegação fiscal. Depois de Harvard, levou sua determinação para a Bain Consulting, onde ele ajudou a salvar empresas excelentes como a Pan Am, Eastern Airlines, Atari e DeLorean.

Romney é detalhista em sua vida profissional. Certa vez, cancelou uma festa da empresa em que o grupo Abba tinha sido contratado para tocar, dizendo que a música da banda era "muito inflamada". É também um homem muito devotado à família. Depois de racionalizar os vários períodos de gravidez da sua mulher, reduzindo-os a seis meses cada um, Mitt ajudou Ann a criar cinco filhos perfeitos - Bip, Chip, Rip, Skip e Dip - que se casaram com mulheres identicamente bronzeadas. Alguns dizem que Romney tem uma vida muito privilegiada, apontando o fato de que ele possui um elevador para os seus carros na garagem de sua casa em San Diego. O que não é justo. Romney possui várias casas sem elevadores na garagem e os carros precisam subir as escadas.

Depois de um período bem sucedido na Bain, Romney foi convencido a administrar as Olimpíadas de Inverno, a segunda mais importante instituição caucasiana na terra, depois do Partido Republicano. Então, decidiu se candidatar para governador de Massachusetts. Após o término do seu mandato, sofreu uma crise de meia-idade, durante a qual se tornou um conservador social. O que preparou o caminho para sua candidatura à presidência.

Ele acaba de conquistar a indicação nas primárias, depois de uma extenuante campanha de nove meses em que não teve adversário. Na convenção, abordará seus antecedentes na vida real: líder empresarial de sucesso, magnífico homem de família, um governador eficaz, um líder comunitário devotado e uma pessoa prudente quando toma decisões. Se eleito, promete unir todos os americanos e fazer com que todos se sintam inferiores. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.