Obama: ação na Síria seria diferente de outros conflitos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste sábado, em seu discurso semanal, que uma possível intervenção militar na Síria não se assemelharia ao impopular envolvimento dos Estados Unidos no Iraque e no Afeganistão, informou a rede de televisão CNN.

AE, Agência Estado

07 Setembro 2013 | 13h17

No discurso, o presidente reiterou que o suposto uso de gás sarin pelo regime de Bashar Assad representava uma ameaça à segurança dos Estados Unidos e uma afronta ao direito internacional. Obama disse ainda que seu plano não era imitar as guerras da última década. "O que nós estamos falando não é uma intervenção de duração indeterminada. Isso não seria um outro Iraque ou Afeganistão", disse Obama.

Ainda de acordo com a CNN, Obama não disse se a aprovação ou não do Congresso norte-americano seria necessária para iniciar ataques na Síria, mas salientou que qualquer ação seria mais eficaz se "agirmos em conjunto". "Nós somos os Estados Unidos da América", afirmou. "Não podemos fechar os olhos a imagens como as que vimos da Síria."

Mais conteúdo sobre:
SÍRIAVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.