Obama aceita as desculpas do reverendo Jackson

A campanha do candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, aceitou hoje as desculpas do pastor Jesse Jackson, cujo comentário vulgar provocou grande tempestade política. Jackson é um dos mais ilustres partidários de Obama. Durante o intervalo da gravação de um programa de televisão no domingo, Jackson disse (sem saber que o microfone estava gravando) que queria "cortar fora as bolas de Obama." Na noite de ontem, o reverendo Jackson disse que seus comentários "dolorosos e errados" foram a resposta a uma pergunta durante um intervalo na gravação do programa "Fox & Friends". Uma pessoa do auditório fez uma pergunta sobre os discursos de temas morais que Obama profere freqüentemente em igrejas negras, sobre a responsabilidade paterna. Jackson disse que os discursos de Obama pareciam subestimar o público negro americano, e que existem outros temas mais importantes como o desemprego, a crise hipotecária e o número de negros na prisão. Ele fez uma referência em linguagem vulgar, de que queria cortar os testículos de Obama. O programa "The O''Reilly Factor" da Fox News exibiu as declarações de Jackson na noite de ontem. Jackson deu uma coletiva e se explicou, além de pedir desculpas a Obama. "Não foi um discurso nem uma declaração pública," disse. "Peço desculpas por qualquer dano ou prejuízo que esta conversa privada possa ter causado. Meu apoio à campanha do senador Obama é amplo, profundo e inequívoco." Bill Burton, porta-voz da campanha de Obama, lembrou que o senador cresceu sem seu pai e que continuará a se manifestar sobre as questões da responsabilidade paterna e da participação dos pais nas vidas dos filhos, além da obrigação da sociedade proporcionar empregos, justiça e oportunidades para todos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.