Obama aceitar Nobel da Paz é 'ato cínico', diz Fidel

O ex-líder cubano Fidel Castro qualificou o fato de o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aceitar o Prêmio Nobel da Paz como um "ato cínico". Fidel disse que o norte-americano "não era obrigado a cometer o ato cínico" de aceitar a honraria e lembrou que Obama anunciou, no dia 1º, mais 30 mil soldados para a guerra afegã. O ex-dirigente cubano disse que, na ocasião, ele teve a "impressão de ouvir George W. Bush".

AE-AP, Agencia Estado

10 de dezembro de 2009 | 09h48

O ex-líder de 83 anos inicialmente elogiou a escolha do presidente dos EUA, mas mudou de opinião recentemente. Em uma coluna divulgada ontem em um site do governo, ele escreveu: "Por que Obama aceitou o Prêmio Nobel da Paz, quando ele já decidiu levar a guerra no Afeganistão ao seu limite último?"

Tudo o que sabemos sobre:
Nobel da PazObamaFidel Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.