Obama: ações da Rússia 'terão consequências'

Depois de os EUA e a União Europeia anunciarem a imposição de novas sanções contra a Rússia nesta quarta-feira, o presidente norte-americano, Barack Obama, declarou que os líderes russos poderão ver agora que a sua ajuda aos rebeldes do leste da Ucrânia "terá consequências".

AE, Agência Estado

16 Julho 2014 | 22h34

Foram ampliadas as sanções contras as empresas Gazprombank, Novatek, Rosneft, VEB e algumas companhias do setor militar, entre elas a Kalashnikov.

"O que nós esperamos é que com isso os líderes da Rússia irão ver as consequências de novo de suas ações no leste da Ucrânia, incluindo um isolamento diplomático e aumentando o enfraquecimento da economia da Rússia", disse Obama, ao anunciar as sanções na Casa Branca.

Em resposta às sanções, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que as novas sanções são contrárias aos interesses nacionais dos EUA, porque elas colocam as empresas americanas que querem operar na Rússia em desvantagem competitiva. "Eles estão minando as posições de suas empresas de energia. Eles já cometeram um erro e agora insistem em fazer outro", disse o líder russo em entrevista coletiva no Brasil. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RússiaSançõesEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.