EFE/NED REDWAY
EFE/NED REDWAY

Obama acredita que Trump não será presidente dos EUA

Presidente americano diz que 'estar à frente do governo não é o mesmo que apresentar um programa de TV'; para magnata, palavras do democrata podem ser consideradas um 'elogio'

O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2016 | 12h55

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse na noite de terça-feira que não acredita que Donald Trump, pré-candidato do Partido Republicano à presidência do país, será seu sucessor, apesar de o bilionário continuar liderando as pesquisas e ter vencido as primárias republicanas de New Hampshire na semana passada.

"Sigo pensando que o senhor Trump não será presidente e a razão para isso é que tenho muita fé nos americanos", garantiu Obama ao ser perguntado pelos jornalistas em entrevista coletiva durante a cúpula de líderes da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), realizada na Califórnia.

Obama ressaltou que estar à frente do governo dos Estados Unidos é "um trabalho sério" e não é o mesmo que apresentar "um programa de televisão ou um 'reality show'", em referência à carreira televisiva de Trump.

"Acredito que os observadores estrangeiros estão preocupados com parte da retórica nas primárias republicanas", ressaltou o chefe de Estado.

Poucos minutos depois, o magnata nova-iorquino respondeu Obama em um evento de campanha na Carolina do Sul, onde acontecem as primárias no próximo sábado, dizendo que não ficou surpreso com as palavras de alguém que fez "um trabalho terrível" em seus sete anos na Casa Branca.

"(Obama) nos fez retroceder tanto que o fato de dizer isto (suas críticas a Trump) é um elogio, se querem que eu lhes diga a verdade", afirmou o bilionário.

Com relação à batalha pela indicação democrata, Obama considerou que os dois candidatos, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton e o senador por Vermont Bernie Sanders, estão fazendo "um debate sadio" sobre assuntos que interessam aos eleitores democratas.

"Não estou triste de não estar na cédula (de votação)", brincou o presidente, que deixará a Casa Branca em janeiro de 2017.

Obama preferiu não se posicionar a favor de um ou outro candidato, mas admitiu que conhece melhor Hillary, porque ela foi sua secretária de Estado entre 2009 e 2013, depois que o próprio Obama, então senador por Illinois, a derrotou nas primárias democratas para as eleições de 2008. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.