Obama admite que não fechará Guantánamo no prazo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, admitiu pela primeira vez que não conseguirá fechar a prisão de Guantánamo na data antes estipulada por ele, de janeiro de 2010. "Nós tínhamos um prazo específico que não foi cumprido", afirmou o presidente norte-americano, hoje, à NBC, em uma das várias entrevistas concedidas por ele durante sua visita à Ásia.

AE, Agencia Estado

18 Novembro 2009 | 11h33

Em janeiro, durante sua primeira semana no cargo, Obama prometeu que fecharia a prisão que os EUA mantém na base militar em território cubano em até um ano. Agora, admite que levará mais tempo. A prisão em Guantánamo abrigou - e ainda mantém presos - suspeitos de terrorismo capturados no âmbito da "guerra ao terror", liderada pelo antecessor do democrata, o republicano George W. Bush. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.