Obama adverte Coreia do Norte para desistir de foguete

A Coreia do Norte deslocou um foguete para uma base no nordeste do país em preparação para o seu lançamento no próximo mês, informaram autoridades da Coreia do Sul neste domingo. A continuidade dos planos de lançamento do foguete foi classificada pelo governo dos Estados Unidos como uma operação disfarçada de teste de mísseis de longo alcance.

AE/AP, Agência Estado

25 de março de 2012 | 10h27

O presidente americano Barack Obama e o presidente sul-coreano Lee Myung-Bank pediram para o governo da Coreia do Norte para interromper imediatamente os planos de lançamento do foguete, alertando que os dois países vão lidar severamente com qualquer provocação. Obama disse que a ação colocaria em risco um acordo pelo qual os Estados Unidos enviariam ajuda de alimentos para a Coreia do Norte em troca de um congelamento do programa nuclear dos norte-coreanos.

"Um mau comportamento não será premiado", disse Obama numa entrevista coletiva conjunta com o presidente Lee. "Tem havido um padrão, eu creio, por décadas pelo qual a Coreia do Norte sempre achou que se eles agirem provocativamente, então de alguma forma eles seriam subornados para acabarem com a provocação".

Obama fez, logo cedo no domingo, uma visita simbólica à tensa e pesadamente armada fronteira que divide as Coreias há seis décadas, depois que a Guerra da Coreia terminou com um cessar-fogo que deixou a península tecnicamente em guerra.

Os preparativos para o lançamento do foguete pela Coreia do Norte devem dominar as discussões paralelas de uma cúpula de segurança nuclear internacional que se realiza em Seul nesta segunda e terça-feira, na qual o presidente Obama e outros líderes mundiais já confirmaram presença. Os preparativos para o lançamento do foguete acontecem no momento em que os norte-coreanos e seu novo líder Kim Jong Un celebram 100 dias da morte do pai do novo líder, Kim Jong Il. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaCoreiafoguete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.