Obama anuncia últimos nomes de seu gabinete e sai em férias

Novo governo terá mulher de ascendência latina no Departamento de Trabalho e republicano nos Transportes

Anne R. Kornblut, O Estadao de S.Paulo

20 de dezembro de 2008 | 00h00

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, completou ontem a lista dos nomes que comporão seu gabinete. Após a entrevista coletiva na qual anunciou os últimos membros de sua equipe, Obama partiria no sábado para o Havaí, onde passará férias com sua família.   Confira o gabinete do presidente eleitoDe acordo com analistas americanos, a crise econômica forçou o democrata a apressar a formação completa de seu gabinete, um mês antes da posse. O presidente Bill Clinton tinha escolhido apenas um assessor de alto escalão um mês depois de ter sido eleito. Jimmy Carter e o republicano Ronald Reagan, apenas dois.Na entrevista coletiva, Obama também declarou apoio ao plano de resgate de US$ 17,4 bilhões anunciado pelo presidente George Bush para a indústria automobilística (mais informações no Caderno de Economia).Entre as estrelas da equipe do presidente eleito estão Hillary Clinton, secretária de Estado, e o republicano Robert Gates, que permanecerá no Departamento de Defesa.Os nomes confirmados ontem foram os da deputada Hilda Solís, democrata da Califórnia, que ocupará o cargo de secretária do Trabalho, e do ex-prefeito de Dallas, Ron Kirk, como o encarregado de comércio.Os dois foram anunciados juntamente com o nome de Ray La Hood, republicano de Illinois, escolhido para ser o secretário dos Transportes. Com a escolha de Hilda, membro liberal do Congresso, Obama confirma o objetivo de promover "cargos com preocupações ambientais". A nova secretária é conhecida mais pelos seus esforços no campo da energia do que por sua atividade na área trabalhista; ela é membro da Comissão de Comércio e Energia, da Comissão de Recursos Naturais, da Comissão Seleta de Independência Energética e Aquecimento Global, e da Comissão de Política e Iniciativas - mas ela não é membro da Comissão de Trabalho e Educação.Mesmo assim, os líderes trabalhistas apoiaram a nomeação de Hilda, cujo pai foi representante sindical dos caminhoneiros no México. Andy Stern, presidente da Federação Nacional dos Empregados em Serviços, emitiu comunicado apoiando a nomeação. "Das ruas de Los Angeles, onde ela marchou com os porteiros e zeladores que lutavam por um trabalho digno para sustentar a família, ela tem sido uma franca defensora do direito de todos à saúde, a um salário mínimo que dê para viver e ao direito do trabalhador de se reunir para ter uma voz no emprego. Hilda nunca abandonou uma boa luta para fazer com que o sonho americano seja uma realidade para todos."Hilda nasceu em Los Angeles, em 1957, e é a quinta mulher (além de Hillary Rodham Clinton, Susan Rice, Janet Napolitano e Lisa Jackson) e o terceiro hispânico escolhido para o gabinete (além de Bill Richardson e Ken Salazar). Ela também apoiou Hillary nas primárias e foi uma fervorosa defensora da ex-primeira-dama. Provavelmente, Hilda gastará muito tempo no debate de uma lei concebida para facilitar a adesão ou formação de sindicatos de empregados nos EUA. A nova lei é contestada por grupos empresariais que emitiram um comunicado criticando a posição da nova secretária. O novo administrador das políticas comerciais de Obama, Ron Kirk, foi o primeiro prefeito negro de Dallas. As relações comerciais com a China deve ser uma de suas prioridades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.