Obama arrecadou US$ 104 milhões no final da campanha

A campanha presidencial de Barack Obama nos Estados Unidos arrecadou US$ 104 milhões nas semanas anteriores à eleição, um "grand finale" para uma aposta bem sucedida que quebrou os recordes de arrecadação de fundos. No total, Obama arrecadou cerca de US$ 750 milhões durante sua campanha e os gastos nas oito semanas antes da eleição superaram muito os realizados por seu rival republicano, John McCain, segundo dados compilados pela Comissão Federal de Eleição dos EUA. As informações são referentes ao período de 15 de outubro a 24 de novembro.Segundo a campanha democrata, mais de um milhão de pessoas fizeram doações durante o período e mais da metade delas fizeram contribuições pela primeira vez. Ao longo da campanha, mais de 3,95 milhões de fizeram contribuições para Obama. O total de fundos do candidato democrata foi superior à combinação do total das arrecadações dos indicados pelos dois maiores partidos dos EUA quatro anos atrás. George W. Bush e John Kerry somaram US$ 653 milhões nas primárias e durante a campanha em 2004, incluindo fundos públicos. Os números finais da campanha de Obama enfatizam quão importantes foram as estratégias dos dois candidatos para a arrecadação de suas campanhas. McCain aceitou os US$ 84 milhões dos contribuintes, por meio do financiamento público de campanha. Já Obama apostou que poderia levantar muito mais por meio de doações privadas. No relatório do período de 15 de outubro a 24 de novembro, McCain informou ter gasto US$ 26 milhões e Obama, US$ 136 milhões. Enquanto McCain estava limitado a gastos de US$ 84 milhões a partir de setembro, Obama pôde gastar US$ 315 milhões durante o mesmo período. McCain tentou diminuir essa distância com a ajuda do Partido Republicano, que enviou milhões de dólares para promover sua candidatura. Os republicanos investiram US$ 53 milhões apenas em anúncios independentes com o objetivo de atingir Obama. Mais doações Falando em sua cidade natal, Chicago, Obama agradeceu, na noite de ontem, seu comitê financeiro de Illinois pela ajuda para vencer a eleição, afirmando que não foi o final de seu trabalho e sim o início. O discurso foi feito durante um encontro com cerca de 100 doadores. Obama foi o primeiro candidato presidencial, desde as reformas feitas nos anos 1970, a desistir do financiamento público de campanha. "Obama persuadiu um número incrivelmente grande de pessoas a fazer doações mais de uma vez", disse Michael Malbin, do Instituto de Finanças de Campanha. De acordo com dados da instituição, 212 mil pessoas fizeram doações repetidas e acabaram por fazer contribuições que totalizaram mais de US$ 200, com média de US$ 490 cada. Obama conquistou um total de 580 mil doadores individuais até meados de outubro.Dados do instituto mostram que Obama levantou cerca de 26% do total de suas doações de pessoas que fizeram contribuições de menos de US$ 200 - porcentual semelhante ao conquistado por George W. Bush em 2004. Os doadores da campanha de Obama têm recebido pedidos para que façam contribuições para Hillary Rodham Clinton, já que ela luta para reduzir suas dívidas de campanha. Até o início de novembro, Hillary tinha dívidas de US$ 7,5 milhões, segundo informações da própria campanha da senadora, que será secretária de Estado do governo Obama.

AE-AP, Agencia Estado

05 de dezembro de 2008 | 16h40

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaarrecadação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.