Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Doug Mills / NYT
Doug Mills / NYT

Obama cobra avanços do Quênia ao encerrar viagem ao país

Líder americano disse que os quenianos já progrediram, mas que podem avançar mais. Ainda hoje ele segue para a Etiópia

O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2015 | 07h57

NAIRÓBI - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, encerrou neste domingo, 26, sua visita ao Quênia com um discurso duro, encorajando o país a usar os problemas do passado como lição para o futuro. Obama disse que os quenianos estão em uma encruzilhada e que é preciso "escolher o caminho do progresso", continuando com o combate à corrupção, eliminando a desigualdade de renda e dando maiores direitos às mulheres.

Obama ainda destacou que o Quênia já avançou nos últimos anos, mas pode progredir muito mais. "Vocês podem escolher o caminho do progresso, mas é preciso fazer escolhas importantes", disse para um ginásio lotado. Milhares de pessoas se aglomeraram nas ruas por onde passaria o comboio presidencial. O discurso foi transmitido ao vivo pela TV local.

O líder americano lembrou a história do Quênia, desde o período colonial e o isolamento, até a independência e integração global. Mesmo assim, ele apontou os desafios que ainda persistem, como a necessidade de melhorar os serviços de educação e saúde, combater o terrorismo e a violência tribal. "Quando se trata do povo do Quênia, especialmente os jovens, eu acredito que não há limites para o que vocês podem atingir. Em função do progresso do país, em função do seu potencial, vocês podem construir seu futuro aqui e agora", afirmou.

Ainda neste domingo, Obama seguirá para a Etiópia na segunda parte de sua viagem pela África. Assim como no caso do Quênia, trata-se da primeira visita de um presidente americano na história do país. / ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaQuêniaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.