Obama comemora libertação de Suu Kyi em Mianmar

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, comemorou a decisão do governo de Mianmar de libertar Aung San Suu Kyi, líder da oposição no país, após o fim do prazo de sete anos de sua prisão.

AE, Agência Estado

13 de novembro de 2010 | 12h02

Num comunicado emitido do Japão onde participa de um fórum econômico, Obama elogiou a "libertação há muito esperada" da dissidente, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, e fez um novo pedido para que o governo militar do país liberte todos os seus presos políticos.

Obama declarou que a libertação de Suu Kyi não muda o fato de que ela e a oposição política que representa têm sido "sistematicamente silenciadas" e proibidas de participarem de processos políticos que poderiam mudar o país.

"Embora o regime birmanês tenha se esforçado extraordinariamente para isolar e silenciar Aung San Suu Kyi, ela manteve sua luta corajosa pela democracia, a paz e a mudança na Birmânia", disse Obama.

"Ela é uma heroína para mim e uma fonte de inspiração para todos aqueles que trabalham para fazer avançar os direitos humanos básicos na Birmânia e no mundo", declarou o presidente norte-americano. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
MianmarPrêmio NobellibertaçãoObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.