Jim Young/Reuters
Jim Young/Reuters

Obama consegue apoio de Colin Powell para ratificação do Start

Influente entre os republicanos, ex-general defende acordo nuclear com a Rússia

estadão.com.br,

01 de dezembro de 2010 | 20h31

WASHINGTON - O presidente americano, Barack Obama, conseguiu nesta terça-feira, 1, o apoio do ex-secretário de Estado e ex-comandante das Forças armadas dos EUA, Colin Powell, para a ratificação do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês) com a Rússia. Comandante militar na primeira Guerra do Golfo (1991), o ex-general é muito respeitado entre os republicanos.

Veja também:

especialAs armas e ambições das potências nucleares

"Quando existem incertezas sobre o arsenal nuclear o mundo fica mais perigoso", disse Obama, em encontro com Powell e o vice-presidente Joe Biden, na Casa Branca.

Para Powell, não ratificar o tratado colocaria os EUA em uma posição vulnerável. "Não temos certeza do que acontece na Rússia e eles não tem certeza do que acontece aqui", disse sobre o arsenal nuclear dos dois países.

O otimismo da Casa Branca sobre a ratificação do Start no Senado aumentou após dois importantes senadores republicanos, John McCain e George Voivonovich, indicarem que gostariam de votar o tratado ainda este ano.

A partir de fevereiro, com a nova legislatura do Congresso americano, os democratas terão seis senadores a menos, o que pode dificultar a ratificação do Start. Com 60 senadores, eles precisam de sete votos republicanos. Com 54, necessitariam de 13.

 

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.