Jim Young/Reuters
Jim Young/Reuters

Obama consegue apoio de Colin Powell para ratificação do Start

Influente entre os republicanos, ex-general defende acordo nuclear com a Rússia

estadão.com.br,

01 de dezembro de 2010 | 20h31

WASHINGTON - O presidente americano, Barack Obama, conseguiu nesta terça-feira, 1, o apoio do ex-secretário de Estado e ex-comandante das Forças armadas dos EUA, Colin Powell, para a ratificação do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês) com a Rússia. Comandante militar na primeira Guerra do Golfo (1991), o ex-general é muito respeitado entre os republicanos.

Veja também:

especialAs armas e ambições das potências nucleares

"Quando existem incertezas sobre o arsenal nuclear o mundo fica mais perigoso", disse Obama, em encontro com Powell e o vice-presidente Joe Biden, na Casa Branca.

Para Powell, não ratificar o tratado colocaria os EUA em uma posição vulnerável. "Não temos certeza do que acontece na Rússia e eles não tem certeza do que acontece aqui", disse sobre o arsenal nuclear dos dois países.

O otimismo da Casa Branca sobre a ratificação do Start no Senado aumentou após dois importantes senadores republicanos, John McCain e George Voivonovich, indicarem que gostariam de votar o tratado ainda este ano.

A partir de fevereiro, com a nova legislatura do Congresso americano, os democratas terão seis senadores a menos, o que pode dificultar a ratificação do Start. Com 60 senadores, eles precisam de sete votos republicanos. Com 54, necessitariam de 13.

 

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.