Obama: Coreia do Norte 'fracassou mais uma vez'

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta terça-feira que a Coreia do Norte já não é mais capaz de criar uma crise internacional com suas provocações e assegurou que tanto os EUA quanto a Coreia do Sul são plenamente capazes de se defenderem. Segundo Obama, o fato de hoje ele ter recebido na Casa Branca a nova presidente sul-coreana, Park Geun-hye, é uma prova de que a Coreia do Norte "fracassou mais uma vez".

AE, Agência Estado

07 de maio de 2013 | 16h05

"Os dias nos quais a Coreia do Norte conseguia criar uma crise e obter concessões acabaram", disse Obama a repórteres reunidos na Casa Branca depois de uma reunião com Park no Salão Oval. Esta é a primeira viagem de Park ao exterior depois que foi eleita. A visita a Obama marca os 60 anos da aliança entre Washington e Seul.

Segundo Obama, a Coreia do Norte não conseguiu, com suas ameaças, provocar divisão entre EUA e Coreia do Sul nem obter respeito internacional.

Antes da reunião entre Obama e Park, fontes norte-americanas disseram que a Coreia do Norte deu um passo atrás em sua recente escalada de ameaças ao remover de uma plataforma de lançamento os mísseis balísticos de médico alcance que vinham sendo preparados para um teste.

Nas últimas semanas, a Coreia do Norte manteve dois mísseis Musudan em preparação para um teste, mas ambos foram removidos nos últimos dias, disseram as fontes sob a condição de anonimato O motivo do recuo não está claro, já que não houve pronunciamento oficial norte-coreano sobre o assunto.

O secretário de Imprensa do Pentágono, George Little, chegou a comentar ontem que houve uma "pausa" nas provocações da Coreia do Norte, mas não mencionou a retirada dos mísseis. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACoreia do SulObamaParkcoletiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.