Obama critica governo do Irã por ter reprimido protesto

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou hoje o Irã por sua resposta violenta aos protestos contra o governo. Obama pediu que os governos de todo o Oriente Médio evitem reprimir os manifestantes que lutam pela democracia. "O mundo está mudando", disse o presidente em uma mensagem direcionada aos líderes autocráticos da região. "Vocês têm uma geração jovem, vibrante dentro do Oriente Médio, que está buscando mais oportunidade".

AE, Agência Estado

15 de fevereiro de 2011 | 16h33

Obama disse que é "irônico" que o regime iraniano esteja "fingindo celebrar o que ocorreu no Egito". "Eles agiram em contraste direto com o que aconteceu no Egito" ao usar a força contra os manifestantes, disse. Os líderes iranianos apontaram a queda dos regimes de Zine El Abidine Ben Ali, na Tunísia, e de Hosni Mubarak, no Egito, ambos líderes seculares, como levantes islâmicos.

"Nós enviamos uma mensagem forte para nossos aliados na região... vamos olhar para o exemplo egípcio", afirmou Obama. Mas o presidente disse que há limites para a influência dos EUA no Oriente Médio. "Esses são países soberanos, que tomam suas próprias decisões", notou. "O que podemos fazer é prestar apoio moral".

Ontem, as forças de segurança do Irã reprimiram um protesto organizado pela oposição. Inicialmente a manifestação seria uma demonstração de solidariedade aos levantes populares no Egito e na Tunísia, mas autoridades iranianas temiam que na verdade a oposição quisesse protestar contra o presidente Mahmoud Ahmadinejad. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaIrãOriente Médioprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.