Obama critica proposta republicana de cortar gastos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que o plano dos republicanos de cortar impostos e gastos, se o partido retomar o controle da Câmara dos Representantes nas eleições de novembro, não é mais do que "um eco da década desastrosa que nós não podemos nos dar ao luxo de reviver".

AE-AP, Agência Estado

25 de setembro de 2010 | 12h15

Obama usou seu programa semanal no rádio e na Internet para criticar os republicanos hoje sobre o plano "Promessa para a América", anunciado nesta semana. Os republicanos também prometeram reduzir a regulamentação sobre o mercado financeiro, revogar a lei do setor de saúde e acabar com o programa de estímulo do governo. "Os republicanos que querem assumir o Congresso ofereceram suas próprias ideias outro dia. Muitas delas foram as mesmas políticas que levaram à crise econômica, o que não é surpreendente, já que muitos de seus líderes estavam entre os arquitetos da política que fracassou", destacou Obama.

O presidente dos EUA afirmou também que a promessa dos republicanos "se baseia na mesma filosofia desgastada: corte de impostos para milionários e bilionários, redução das regras para Wall Street e interesses especiais. Isso não é uma receita para um futuro melhor".

Os republicanos usaram seu próprio comunicado de rádio para defender a proposta. "A nova agenda incorpora a rejeição dos americanos da noção de que podemos simplesmente taxar, tomar emprestado e gastar o nosso recurso para a prosperidade", disse um dos seus autores, o deputado republicano Kevin McCarthy. "Ela oferece uma opção nova que ainda não foi tentada por Washington - uma abordagem focada no corte de gastos que é, infelizmente, uma nova ideia para um Congresso acostumado a sempre aumentá-los", declarou, criticando os democratas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
democratasrepublicanosEUAObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.