Obama: Cúpula do Leste Asiático deve discutir fronteiras

O Presidente Barack Obama, o primeiro líder dos EUA a participar de Cúpula do Leste Asiático, elegeu o grupo como o mais indicado para acabar com as explosivas disputas marítimas regionais.

ROBERTO CARLOS DOS SANTOS, Agência Estado

18 de novembro de 2011 | 03h30

A China tem se recusado a discutir diretamente na cúpula as fronteiras territoriais, incluindo reivindicações de outras nações da região sobre o Mar da China Meridional. Na avaliação de Washington, porém, a segurança das rotas é vital para o comércio e a questão merece um diálogo sério.

A cúpula "pode ser a principal arena para que possamos trabalhar juntos em uma ampla gama de questões, entre elas a da segurança marítima", disse o presidente dos EUA. Obama, que inicia hoje sua participação na cúpula, disse ainda que o grupo é fundamental para desenvolver políticas de socorro e ajuda em eventuais desastres.

O presidente dos EUA deu as declarações em encontro com o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, na primeira de uma série de conversas ocorridas na véspera do início da cúpula, no sábado. Obama também conversou com líderes da Tailândia e das Filipinas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Cúpula do Leste AsiáticoObamaposse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.