Obama defende Estado palestino com fronteiras de 67

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, endossou hoje uma importante demanda dos palestinos em relação às fronteiras de seu futuro Estado. Obama afirmou que Israel deve aceitar o fato de que não pode ser uma nação totalmente pacífica baseada em uma "ocupação permanente".

AE, Agência Estado

19 de maio de 2011 | 14h44

O líder americano pediu que o Estado palestino seja baseado nas fronteiras de 1967, as existentes antes da Guerra dos Seis Dias, na qual Israel ocupou Jerusalém Oriental, a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Trata-se de uma importante mudança na política dos EUA e a novidade deve causar descontentamento entre os israelenses.

O governo de Israel afirma que a referência às fronteiras de 1967 significariam um prejulgamento nas negociações. Obama se encontrará amanhã com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na Casa Branca. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAdefesaEstado palestinoIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.