Obama defende revisão da lei de imigração

O presidente Barack Obama elogiou nesta terça-feira os esforços dos democratas e republicanos de revisar as leis de imigração do país, classificando a iniciativa como "um desejo genuíno" de tentar resolver a famosa desorganização no sistema, que já dura quase duas décadas.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 18h42

Em declarações feitas em Las Vegas, Obama tentou conquistar apoio público para as mudanças que dariam a milhares de imigrantes ilegais o caminho da cidadania, ao mesmo tempo em que pretende intensificar a segurança nas fronteiras. "A boa notícia é que pela primeira vez em muitos anos, republicanos e democratas parecem prontos a resolver esse problema juntos", afirmou Obama. "Parece haver um desejo genuíno de resolver isso o mais rápido possível o que é encorajador."

A proposta tem como base um projeto semelhante apresentado na segunda-feira por um grupo bipartidário de senadores influentes e abre o caminho para a primeira mudança significativa no sistema em duas décadas. Defensores da imigração disseram esperar que a proposta do presidente seja mais progressiva do que o plano apresentado pelos dois partidos, incluindo o caminho mais rápido para a cidadania.

"Obama certamente verá hoje os sinais promissores que estamos vendo no Congresso mais especificamente os princípios que os dois partidos colocam juntos pelo grupo de senadores que mirram seus próprios princípios", afirmou o porta-voz da Casa Branca Jay Carney aos repórteres. "Isso é motivo de esperança e o que ouvimos do presidente hoje é que precisamos tomar essa iniciativa positiva e continuar a avançar para que a lei atual seja produzida."

Com isso, o assunto imigração surge como uma rara questão com algum tipo de apoio bipartidário no dividido Congresso dos Estados Unidos, onde o tema do controle de armas e o enorme déficit do país devem provocar confrontos muito mais acirrados. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAimigraçãoObamalei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.