Obama defende seu projeto tributário contra críticas de McCain

O candidato democrataBarack Obama acusou na quinta-feira o republicano John McCainde estar distorcendo o seu plano tributário, que segundo elepoupará a maioria dos norte-americanos de mais impostos. McCain acusou nesta semana o seu rival de propor o maioraumento tributário nos EUA desde a Segunda Guerra Mundial. "Simplesmente não é verdade", reagiu o democrata durantereunião com eleitores num ginásio de escola do Wisconsin,rejeitando a rótulo de "liberal [afeito a] arrecadar e gastar"que os republicanos lhe estariam colocando. Obama recebeu um aumento apenas modesto nas suas intençõesde voto desde que liquidou a rival Hillary Clinton na disputainterna do partido. Pesquisa NBC/Wall Street Journal mostra queele tem agora 47 por cento, contra 41 de McCain. Obama promete aumentar impostos apenas dos norte-americanosque ganhem mais de 250 mil dólares por ano. Os impostos sobreganhos de capital também subiriam apenas para os mais ricos,isentando os pequenos investidores. A arrecadação adicionalfinanciaria uma dedução-padrão de mil dólares por ano para aclasse média. McCain e outros republicanos argumentam que qualqueraumento tributário pode ser devastador neste momento dedesaquecimento econômico. O comitê de Obama citou em seu proveito um estudo do Centrode Política Tributária, de Washington, segundo o qual o planotributário do democrata seria três vezes mais benéfico para aclasse média do que o de McCain. Esse mesmo estudo também mostra que, num governo McCain, umquarto de todos os novos benefícios fiscais seriam destinados afamílias que ganham mais de 2,8 milhões de dólares por ano. "Tanto John McCain quanto eu defendemos o corte deimpostos", disse Obama. "Não imposta o que ele diz, ambosdefendemos o corte de impostos. A diferença é que o senadorMcCain quer continuar o código tributário do [atual presidente,George W.] Bush, que recompensa a riqueza, enquanto eu queroreformar nosso código tributário de modo que recompense otrabalho." Ele disse que McCain seria fiscalmente irresponsável semantivesse as deduções fiscais generalizadas do governo Bush eainda agregasse vantagens tributárias para empresas. "Eu costumo dizer que John McCain está concorrendo aoterceiro mandato de George Bush, mas isso não é justo comGeorge Bush, porque a verdade é que o senador McCain está agorapropondo esta nova rodada de alívio tributário que custa odobro do plano de Bush e é três vezes mais regressivo [taxa osmais pobres]." Obama também criticou McCain por ter declarado naquarta-feira que "não é tão importante" estabelecer um prazopara a desocupação do Iraque. Para o democrata, manter astropas "perpetuamente" no Iraque é uma idéia que não leva emconta o custo financeiro disso para o país e o desgaste para asfamílias de soldados enviados sucessivas vezes à frente decombate. Em entrevista a uma TV, McCain argumentou que maisimportante que os prazos da retirada seria manter um baixonúmero de baixas norte-americanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.