Obama defenderá reforma do sistema de saúde

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, enfrentando cada vez mais dúvidas entre o público sobre suas políticas para a economia e a saúde, tentará usar sua coletiva de imprensa na noite de hoje para convencer os céticos de que cada cidadão terá uma responsabilidade no seu plano nacional para a saúde.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

22 de julho de 2009 | 21h28

"Isto não é apenas sobre os 47 milhões de norte-americanos que não têm cobertura de saúde", dirá Obama, de acordo com trechos dos seus comentários de abertura da entrevista, adiantados pela Casa Branca ao Wall Street Journal.

"A reforma diz respeito a cada americano que tem medo de perder sua cobertura de saúde se ficar muito doente, ou perder seu emprego, ou mudar de emprego. Diz respeito a cada pequena empresa que foi forçada a demitir empregados ou cortar as coberturas de saúde dos funcionários porque elas ficaram muito caras. E diz respeito ao fato de que a grande força que está por trás do nosso déficit federal é o custo astronômico dos programas Medicare e Medicaid", dirá Obama logo mais tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.