Obama desafia Boehner a levar financiamento a votação

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, desafiou hoje, durante visita à sede da Agência Federal de Administração de Emergências (Fema, na sigla em inglês), o presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, a permitir uma votação do projeto "limpo" de gastos para reabrir o governo, afirmando que aposta que será aprovado a despeito das previsões do republicano de que a votação vai fracassar.

AE, Agência Estado

07 de outubro de 2013 | 15h45

"Presidente Boehner, se os republicanos estão dizendo que não há votos suficientes eles devem provar isso", disse Obama. "Vamos deixar cada membro do Congresso votar com sua consciência", pediu.

Os comentários de Obama foram feitos durante visita à sede da Fema, onde reuniu-se com servidores federais que estão trabalhando sem receber. Como resultado da paralisação parcial do governo, a agência dispensou centenas de servidores, mas reconvocou parte da equipe na semana passada para ajudar a lidar com os riscos decorrentes da passagem da tempestade tropical Karen pelo Golfo do México e com os danos provocados pelas chuvas intensas no meio-oeste do país. Durante a visita, o presidente americano disse que a Fema provavelmente terá de dispensar alguns funcionários novamente.

O desafio lançado hoje pelo presidente segue-se às declarações feitas ontem pelo deputado republicano, que afirmou que Obama não quer sentar para negociar. O democrata, por sua vez, tem dito que não irá negociar até que o governo seja reaberto.

Hoje, Obama afirmou que Boehner não coloca o projeto de financiamento do governo em votação porque "aparentemente ele não quer ver a paralisação do governo chegar ao fim a menos que ele obtenha concessões extras".

A Câmara aprovou um projeto para financiar a Fema no curto prazo, mas a Casa Branca tem dito que Obama vetaria projetos de financiamento fragmentado do governo porque defende a aprovação de um projeto amplo de financiamento para toda a operação do setor público federal, sem especificar agências ou serviços determinados. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAparalisaçãoObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.