Obama descarta ajuda adicional no Iraque e diz que situação melhorou

Presidente americano ressaltou que bombardeios continuarão caso seja necessário proteger soldados que estão em Irbil

Cláudia Trevisan, correspondente / WASHINGTON, O Estado de S. Paulo

14 de agosto de 2014 | 14h17

WASHINGTON - O presidente Barack Obama descartou na manhã de hoje o envio de tropas para auxiliar no resgate de milhares de integrantes de minorias étnicas religiosas que estavam isolados pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Isil) em montanhas no nordeste do Iraque. Segundo ele, grande parte das pessoas conseguiu deixar o local nas últimas noites com a ajuda de forças curdas.

Obama disse que a situação na região melhorou desde o dia 7, quando os Estados Unidos anunciaram a realização de ataques aéreos e a entrega de ajuda humanitária ao grupo que estava cercado pelos jihadistas. O presidente ressaltou que os bombardeios continuarão caso seja necessário proteger americanos que estão em Irbil, capital da região controlada pelo curdos, em Bagdá ou outra região do país.

Os integrantes de forças especiais que foram enviados ao Iraque para avaliar a situação nas montanhas próximas da cidade de Sinjar voltarão aos Estados Unidos nos próximos dias, afirmou.

Com a evacuação das milhares de pessoas que estavam isoladas, Obama disse que não será mais necessário entregar ajuda humanitária. Segundo ele, cargueiros americanos lançaram alimentos e água todas as noites desde o dia 7, quando ele anunciou a intervenção dos EUA.

Obama voltou a defender a formação de um governo de unidade em torno de Haider al-Abadi, nomeado primeiro-ministro na segunda-feira. O atual ocupante do cargo, Nuri Maliki, sustenta que a indicação contraria a Constituição e defende seu direito de desempenhar a função pela terceira vez. Xiita, Maliki está no poder desde 2006. Os EUA acreditam que seu antigo aliado aprofundou as divisões sectárias no Iraque, ao privilegiar os xiitas e marginalizar os sunitas, o que teria aberto terreno para o avanço do Isil, um grupo sunita radical.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.