AP Photo/Nam Y. Huh
AP Photo/Nam Y. Huh

Obama detalha planos para seu centro presidencial em Chicago

Para o ex-presidente, centro deverá funcionar como um local de treinamento para futuras gerações de líderes

O Estado de S. Paulo

03 Maio 2017 | 21h40

CHICAGO - O ex-presidente americano Barack Obama divulgou nesta quarta-feira, 3, o plano projetado para seu centro presidencial em Chicago, que ele diz esperar que funcione como um local de treinamento para futuras gerações de líderes. 

O Centro Presidencial Obama será construído em 200 hectares no Jackson Park, em South Side, Chicago. O parque foi inicialmente criado como parte da Feira Mundial de 1893. O desenvolvimento do projeto prevê a construção de três prédios - um museu, um fórum e uma biblioteca - formando um câmpus ao redor de uma praça. 

O museu, o mais alto das três estruturas, incluirá áreas públicas, escritórios e salas de aula, além de espaços para exibições, segundo explicou a Fundação Obama, em um comunicado. 

"Queremos que esso seja a principal instituição do mundo para treinamento de jovens e lideranças que possam fazer a diferença em suas comunidades, em seus países e no mundo. Esse é o nosso objetivo", afirmou Obama no evento de lançamento do projeto, em Chicago. 

Lentamente, Obama começa a retornar à vida pública após deixar o cargo em janeiro. No mês passado, ele moderou um evento na Universidade de Chicago na sua primeira aparição desde que deixou a Casa Branca. 

O projeto deverá levar quatro anos para ser concluído, segundo Obama, mas os programas educacionais começarão este ano. O ex-presidente explicou que doará US$ 2 milhões para programas de empregos na comunidade de Chicago, seu berço político. 

Obama nasceu e cresceu no Havaí, foi a universidade em Nova York e Califórnia, mas comprou casa e passou a maior parte de sua carreira política pré-Casa Branca em Chicago. Nessa cidade, ele iniciou seu trabalho como ativista comunitário antes de se tornar senador estadual de Illinois e, depois, senador em Washington. 

 

Nova York e Havaí também concorreram para ser a sede do centro presidencial de Obama, mas acabaram vencidos por Chicago. 

Os escritórios Tod Williams Billie Tsien Architects Partners, de Nova York, e Interactive Design Architects, de Chicago, foram escolhidos no ano passado como as empresas que conduzirão o projeto. 

Residentes de South Side, incluindo muitos de bairros vizinhos considerados pobres e violentos, aguardam por uma oportunidade de trabalhar no centro e pelos investimentos que ele trará para a região. 

Alguns pequenos comerciantes, porém, se preocupam com o fato de que o empreendimento possa elevar os preços de aluguéis na região. Para Obama, o projeto poderá ser uma transformação para a comunidade. / Reuters  

Mais conteúdo sobre:
Barack ObamaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.