Obama deve anunciar plano para iniciar retirada do Afeganistão

Presidente americano deve confirmar envio de mais 30 mil soldados ao país asiático.

BBC Brasil, BBC

01 de dezembro de 2009 | 20h30

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deverá anunciar que as tropas americanas vão começar a deixar o Afeganistão dentro de três anos, segundo informações de uma fonte do governo americano.

Em um discurso à nação esperado para a noite desta terça-feira, Obama deve anunciar o envio de mais 30 mil soldados para o Afeganistão nos próximos seis meses.

Obama deve fazer o esperado anúncio em um discurso na academia militar de West Point, no Estado de Nova York (leste do país).

Segundo informações divulgadas pela agência de notícias AP, Obama deverá apresentar um plano para que as tropas americanas comecem a deixar o país asiático "bem antes" do fim de seu mandato, em 2012.

Uma fonte do Pentágono disse à BBC que o novo contingente a ser enviado ao Afeganistão incluirá 21 mil soldados regulares e 9 mil marines.

Nova estratégia

A nova estratégia militar americana para o Afeganistão será anunciada depois de mais de três meses de discussões.

O anúncio ocorre em meio a uma crescente preocupação nos Estados Unidos em relação ao conflito, que já dura oito anos.

O aumento da violência no Afeganistão - onde mais de 900 soldados americanos já morreram - e o polêmico processo eleitoral de agosto, com denúncias de fraude, aumentaram a oposição dentro dos Estados Unidos ao conflito.

Segundo o correspondente da BBC em Washington Paul Adams, o povo americano está ansioso para ouvir como o presidente Obama pretende fazer a retirada do Afeganistão.

As novas tropas devem se concentrar em combater militantes do Talebã nas regiões sul e leste do Afeganistão. Obama já teria inclusive conversado com o presidente afegão, Hamid Karzai, sobre a nova estratégia.

Reforço

Os Estados Unidos têm atualmente 68 mil soldados no Afeganistão. O total de forças estrangeiras no país é de mais de 100 mil.

O comandante militar americano no Afeganistão, general Stanley McChrystal, havia pedido no início do ano que os Estados Unidos enviassem mais 40 mil soldados ao país asiático.

Além do envio de mais 30 mil soldados a ser anunciado nesta terça-feira, o presidente americano pediu que os países membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) enviem mais 10 mil soldados ao Afeganistão.

A França já recusou o pedido, e a Alemanha adiou a decisão. Na Grã-Bretanha, o primeiro-ministro, Gordon Brown anunciou, na segunda-feira, o envio de mais 500 soldados.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul, Martin Patience, os anúncios de Obama deverão ser bem recebidos pelas autoridades afegãs, mas muitas pessoas no país asiático não querem mais tropas estrangeiras em seu território.

De acordo com Patience, críticos da presença militar americana afirmam que cada vez que os Estados Unidos enviam mais tropas a segurança do Afeganistão piora, e questionam por que os americanos estão gastando bilhões de dólares em gastos militares e não na reconstrução do país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
afeganistãoestados unidoseuaobama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.