Obama diz estar 'confiante' em crescimento europeu

Após a cúpula do G8, presidente americano diz que líderes entraram em consenso sobre foco na criação de empregos na zona do euro.

BBC Brasil, BBC

19 Maio 2012 | 21h45

O presidente americano Barack Obama disse neste sábado que há um "consenso emergente" de que os países europeus devem focar no crescimento e na criação de empregos.

Em uma coletiva de imprensa após a cúpula do G8, ele afirmou que os Estados Unidos estão "confiantes" de que a Europa conseguirá superar os desafios e disse que os líderes fizeram progressos na discussão sobre uma série de assuntos.

Além da crise na zona do euro, os líderes da França, da Alemanha, da Grã-Bretanha, da Itália, do Japão, do Canadá e da Rússia, além de Obama, falaram sobre o Irã, o Afeganistão e o suprimento global de energia.

Eles se reuniram durante todo o sábado em Camp David, no Estado de Maryland, nos EUA.

Horas antes, os chefes de Estado afirmaram, em um comunicado, o comprometimento com a promoção do crescimento juntamente com a responsabilidade fiscal e afirmaram que querem que a Grécia permaneça na zona do euro.

O correspondente da BBC em Camp David, Paul Adams, diz que tanto o comunicado quanto o discurso de Obama mostram que a posição dos EUA e da França venceu o argumento pró-austeridade da Alemanha e da Grã-Bretanha.

Preocupações energéticas

Os líderes do G8 discutiram uma liberação ampla de suas reservas nacionais de petróleo para estabilizar os mercados energéticos quando novas sanções sobre as exportações do Irã entrarem em vigor.

Obama anunciou também que os países formaram uma nova aliança para focar em segurança alimentícia com líderes africanos e com o setor privado.

No entanto, o foco da reunião permaneceu sendo a crise na zona do euro.

"Como todos os líderes aqui hoje concordam, o crescimento e os emprego devem ser a nossa principal prioridade."

Enfatizando que os Estados Unidos usaram a mesma estratégia para lidar com sua própria crise financeira, o presidente americano disse estar "confiante" que os países europeus estão indo na direção correta.

No entanto, ele reconheceu que a situação da Europa é "mais complicada" que a dos Estados Unidos. No comunicado em conjunto, os líderes do G8 disseram que "as medidas corretas não são as mesmas para cada um de nós".

Também neste sábado, o presidente da Comissão Europeia José Manuel Barroso e o presidente do Conselho Europeu Herman Van Rompuy expressaram, em um comunicado conjunto, satisfação com as afirmações do G8 sobre a ênfase no crescimento.

"A oposição entre os dois (crescimento e austeridade) é um debate falso", afirmaram.

A maior parte dos líderes do G8 irá para Chicago para se juntar a um grupo maior de oficiais internacionais para uma cúpula da Otan, que deve discutir assuntos como a guerra no Afeganistão durante o domingo e a segunda-feira. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.