AP Photo/Paul Beaty
AP Photo/Paul Beaty

Obama diz que decisão de Trump sobre jovens imigrantes é 'errada e cruel' 

Trump anunciou hoje que acabará com o programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (DACA), criado durante o governo Obama

O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2017 | 16h33
Atualizado 05 Setembro 2017 | 16h57

WASHINGTON - O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama criticou nesta terça-feira, 5, a decisão do presidente Donald Trump de encerrar a anistia a jovens imigrantes sem documentos, considerando que ela  é "errada e cruel".  A medida afetará 800 mil pessoas que chegaram ilegalmente aos EUA ainda menores. 

Trump anunciou hoje que acabará com o programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (DACA), do governo Obama, e dará ao Congresso um prazo de seis meses para buscar uma alternativa, momento em que a suspensão se fará efetiva. 

Em um raro comentário sobre o cenário político, Obama usou o Facebook para condenar a decisão de Trump e pediu que o Congresso intervenha. "Atingir estes jovens é errado - porque eles não fizeram nada de errado. É contraproducente porque eles querem começar novos negócios, trabalhar em nossos laboratórios, servir em nossas Forças Armadas, e por outro lado, contribuem com o país que amamos. Isto é cruel", escreveu Obama.

Trump acusou Obama de aprovar uma iniciativa que "estimulou" a crise humanitária sofrida pelos EUA no verão de 2014, quando as autoridades do país se viram sobrecarregadas perante a chegada de milhares de crianças não acompanhadas procedentes, em sua maioria, de El Salvador, Guatemala e Honduras. /AFP e EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.