Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama diz que é prematuro discutir socorro financeiro

O pré-candidatodemocrata à presidência dos Estados Unidos Barack Obama dissenesta segunda-feira que autoridades do serviço públiconorte-americano não poderiam permitir um colapso do mercado decrédito, mas que ainda é cedo para falar sobre um socorrobancado por dinheiro de contribuintes na atual crisefinanceira. "É prematuro começar a falar em um resgate bancado pelocontribuinte", afirmou Obama a jornalistas durante campanha noEstado norte-americano da Pensilvânia. Entretanto, Obama disse que as autoridades precisamgarantir a não ocorrência de um "efeito dominó" em Wall Streetpor causa do aperto do crédito e as preocupações com ashipotecas, que poderiam cobrar altas taxas da economia. "Um princípio geral é que nós não queremos recompensar mauscomportamentos", disse Obama, senador por Illinois. Obama ainda acrescentou "O que não podemos fazer épotencialmente ter um efeito dominó em Wall Street, o quelevaria ao colapso nossos mercados financeiros e de crédito." O senador disse que o Federal Reserve fez a coisa certa aofechar um acordo para financiar 30 bilhões de dólares em ativosdo banco de investimentos Bear Stearns, em um acordo quepreparou sua aquisição pelo banco JPMorgan Chase . (Reportagem de Caren Bohan)

REUTERS

17 de março de 2008 | 17h34

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOOBAMACRISE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.