Larry Downing/Reuters
Larry Downing/Reuters

Obama diz que EUA farão de tudo para que Irã não tenha armas nucleares

Durante encontro com Netanyahu em Israel, presidente americano afirma que sanções contra Teerã vão continuar

estadão.com.br,

20 de março de 2013 | 16h10

TEL-AVIV - O presidente dos EUA, Barack Obama, voltou a afirmar que os "EUA farão de tudo para que o Irã não tenha armas nucleares", durante sua primeira oficial a Israel. "A comunidade internacional continuará a aplicar sanções ao Irã. Ainda há tempo para uma solução diplomática, mas todas as cartas estão na mesa."

Obama foi recebido pelo primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, no aeroporto. Na quinta-feira, o presidente dos EUA viaja à Cisjordânia ocupada para se reunir com o presidente palestino, Mahmoud Abbas.

Sobre a guerra civil na Síria, Obama disse acreditar que o presidente Bashar Assad "perdeu a credibilidade e a legitimidade". "Acredito que ele (Assad) deva sair e vá sair (deixar o poder)."

Questionado sobre o suposto ataque com armas químicas ocorrido em Alepo na terça-feira, Obama respondeu que tudo será investigado. "Vamos investigar exatamente o que aconteceu porque temos que saber o que realmente aconteceu, de quem partiu o suposto ataque e o que pode ser provado."

Netanyahu também citou o conflito na Síria e disse se preocupar com o fato de armas químicas poderem cair "nas mãos de terroristas".

Palestina

O processo de paz entre Israel e Palestina também foi discutido durante o encontro. "Nosso governo continua comprometido com a paz e a formação de dois Estados para dois povos", disse Netanyahu durante entrevista coletiva.

"Sua visita nos deu uma oportunidade de avançar nas conversas de paz com a Palestina", afirmou o premiê de Israel se dirigindo a Obama, que respondeu dizendo que "é preciso existir um Estado palestino soberano, convivendo com Israel, em segurança."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.