Obama diz que Europa e EUA precisam enfrentar problemas juntos

O candidato democrata à Presidência dosEstados Unidos, Barack Obama, conclamou a Europa naquinta-feira a ficar ao lado dos norte-americanos nos esforçospara levar estabilidade ao Afeganistão e no enfrentamento aoutros desafios, entre os quais as mudanças climáticas e aproliferação da tecnologia nuclear. Em discurso proferido ao lado da Coluna da Vitória, ummonumento do parque Tiergarten, de Berlim, Obama afirmou que osEUA não contam com nenhum parceiro melhor do que a Europa edesaconselha os aliados a voltarem-se para dentro. "Ninguém gosta da guerra. Eu reconheço as enormesdificuldades existentes no Afeganistão", disse o candidato, noúnico discurso oficial em sua viagem de uma semana pela Europae pelo Oriente Médio. "No entanto, meu país e os países de vocês têm o interessede ver a primeira missão da Otan (Organização do Tratado doAtlântico Norte) fora das fronteiras européias serbem-sucedida. Para a população do Afeganistão e para nossosinteresses compartilhados na área de segurança, essa missãoprecisa ser cumprida. Os EUA não podem realizar isso sozinhos." Obama, que conta com grande apoio popular na Alemanha,discursou diante de uma multidão formada por cerca de 100 milpessoas, segundo estimativas de uma autoridade local. Os meios de comunicação alemães compararam a visita dele àdo presidente John F. Kennedy, em 1963, quando este pronuncioua famosa frase: "Ich bin ein Berliner" (eu sou berlinense). Ao contrário de Kennedy, Obama não falou nada em alemão,mas discorreu longamente a respeito dos laços históricos entreos EUA e a Alemanha, referindo-se à ponte aérea criada paraabastecer Berlim 60 anos atrás e à queda do Muro de Berlim. "A queda do Muro de Berlim renovou nossas esperanças. Masessa mesma aproximação gerou novos perigos", disse. "Nenhumanação, independente do quão grande ou poderosa seja, conseguiráderrotar tais ameaças sozinhas." Segundo Obama, a Europa e os EUA precisam ficar lado a ladopara enviar uma mensagem clara ao Irã, convencendo-o aabandonar suas ambições nucleares. O candidato ainda conclamouos dois parceiros a superarem suas diferenças a respeito daguerra no Iraque a fim de ajudar os iraquianos a reconstruíremseu país. "Sim, houve divergências entre os EUA e a Europa. Semdúvida, haverá divergências no futuro", disse. "O maior perigode todos é permitir que novos muros nos separem uns dosoutros." Milhares de alemães, alguns deles usando batons, camisetascom o slogan "Yes We Can" (sim, podemos) e bexigas de campanha,aplaudiram Obama durante seu discurso. Cerca de 700 policiais participaram da operação desegurança montada em torno da Coluna da Vitória, uma construçãode 70 metros de altura erguida para celebrar as vitóriasmilitares da Prússia sobre a Dinamarca, a França e a Áustria. (Reportagem adicional de Kerstin Gehmlich, MadelineChambers)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.