Obama diz que não buscará acusações contra CIA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje aos funcionários da Agência Central de Inteligência do país (CIA, das iniciais em inglês) que eles devem continuar desempenhando escrupulosamente seu trabalho porque atuam como uma espécie barreira de segurança contra as ações de pessoas sem nenhum escrúpulo. Obama visitou a sede da CIA pela primeira vez desde a divulgação dos chamados "memorandos da tortura", escritos pelo Departamento de Justiça durante o governo de seu antecessor, George W. Bush.

AE-AP, Agencia Estado

20 de abril de 2009 | 21h12

Obama disse ainda que não buscará acusações formais contra agentes da CIA que participaram de interrogatórios nos quais houve simulação de afogamento dos interrogados.

Mais cedo, o jornal "The New York Times" revelou que agentes da CIA afogaram 183 vezes o autointitulado mentor do 11 de Setembro, Khalid Sheikh Mohammed, durante sessões de interrogatório e que outro suspeito, Abu Zubaydah, foi afogado 83 vezes. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.