AFP / SAUL LOEB
AFP / SAUL LOEB

Obama diz que para acabar com o EI é necessário pôr fim à guerra na Síria

Presidente americano diz que grandes avanços foram feitos na luta contra o grupo jihadista

O Estado de S. Paulo

13 Abril 2016 | 22h54

LANGLEY, Virginia - O presidente americano, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira o único meio de acabar com o Estado Islâmico é acabar com a guerra civil na Síria. 

Obama disse que o cessar-fogo na Síria é "frágil" e tem sido repetidamente violado pelo governo de Bashar Assad. O presidente americano disse que as negociações para uma solução política na Síria, "devem incluir uma transição" sem Assad.

A intervenção de Obama coincide com o início, nesta quarta-feira, de uma rodada de conversações em Genebra entre o regime de Assad e a oposição síria.

O presidente americano declarou que houve avanços na luta liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico, apesar de que houve momentos em que a agitação política no Iraque e a renovada violência na Síria ameaçaram por em risco as conquistas obtidas com dificuldades.

Durante uma incomum visita ao quartel-general da CIA, Obama disse que o EI teve "alguns meses ruins" e detalhou as áreas onde as forças respaldadas pelos EUA tomaram áreas controladas pelo grupo jihadista.

Apesar de admitir que o combate continua sendo difícil  e complexo, Obama disse que o EI está defensiva e os EUa têm a intenção de "manter esse impulso".

"A cada dia os líderes do EI acordam e compreendem que poderia ser seu último", afirmou o presidente americano.

Ele não falou sobre novas medidas nem forneceu dados específicos sobre como os EUA reforçarão o combate ao EI, apesar de funcionários americanos terem sugerido que se está trabalhando em tais ações.

O secretário  de Defesa, Ash Carter, disse que o Pentágono está buscando meios de aumentar o apoio militar para o combate, incluindo um provável aumento das forças americanas juntamente com o uso de helicópteros Apache para missões de combate lideradas pelo Iraque. / AP e EFE

Mais conteúdo sobre:
ObamaEISíriaAssadCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.